ESSE BLOG NÃO PERTENCE SÓ AO POETA, ELE É DE TODOS NÓS

quarta-feira, 19 de maio de 2010

MAGIA E DEVANEIOS



MAGIA E DEVANEIOS


A alma sussurra verbos

Para conjugar os desejos

Como pano de fundo

os meios que vivemos

Onde somos servos

Jogando-nos a nossos extremos

De ponta a ponta

Se somarmos os derradeiros

Desse percurso insano

De tudo que a vida afronta

Até do que nem se quer veremos

Descobrimo-nos arautos dos devaneios

Mas percorre em nós a essência

Dessa obtusa verborragia

Que se torna clarividência

Quando a dialética transcende

A sabedoria dos silêncios

Invade o corpo

As células e a mente

Os infernos e o astral

Onde não há tempo nem eterno

O que somos é aparência

Composta e decomposta

Que viaja pelo etéreo

Divino rito ancestral

Seja em África

Berços de Odara

Ou no mágico oriente

Nas chamas de Dhandara

O que importa é SER

Em todos os rios e mares

Em todos planos e sintonia

Sermos profanos e a dádivas

Arco-Íris de Oxumarê

A mais pura sinergia

O sentido de nossa vida

Sabedoria dos erros e medos

Das mortes e amores

Sermos o rito da Magia.

Sérgio Cumino - POETA AYRÁ

8 comentários:

  1. A sabedoria do silêncio!Essa sim deviamos saber usa-la para deixar de lado a hipocresia que o viver só de aparências e assumir tudo aquilo que queremos!Outra das suas maravilhas pra quem sabe apreciar a verdadeira essência da existência do ser!!
    Beijos Poeta!!

    ResponderExcluir
  2. Poeta querido
    Acho que todos nós[principalmente os poetas]vivemos entre dois mundos,o da magia e da realidade
    Quando a realidade nos chega as vezes abrupta e severa fugimos para os devaneios e de alguma forma nos fortalecemos neles para a vida que nem sempre é poesia
    Beijos meu querido e mais uma vez aplausos para esses lindos e maravilhosos devaneios..
    :)
    ;)

    ResponderExcluir
  3. Encontros e Reencontros...
    A magia que se mostra
    Através do encanto do espelho
    Que divide dimensões;
    Que define mundos,
    Portais semi-abertos...
    Leves toques através do lúdico
    Tendo Como interprete
    De todos e tantos devaneios
    As rimas de muitos poemas
    Poeta de miragens
    Forjado no fogo,
    Rosa de pedra
    Parida por Gaia.
    Em comum
    O tudo e o nada
    Essências...
    Jornadas...
    Caminhos paralelos
    Estrada dividida pelo espelho
    E na tênue neblina
    O reflexo traz lembranças
    De eras que La se foram
    Identificação, recordação..
    Na magia, um simples toque
    Breve , longínquo
    De reconhecimento.

    Obrigada querido, com certeza, seus versos perpetuara nossa amizade, pois palavras são signos sagrados,são mantras que emanam através do cosmo um poder extraordinário...Sendo assim, nossos nomes estarão gravados no infinito, mesmo que nossas vidas sejam eternamente de desencontros.

    Beijos meu neste seu coração sensivel e nesta sua mente brilhante.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Oi amigo...parabéns! lindos seus poemas.Tenho recebido em meu e-mail noticias sobre suas postagens e tenho vindo ler. Gostariade convidá-lo a me ler no meu blog também.
    Quando puder, faça-me uma visita, ficarei muito feliz.
    www.estrelafeminina3.zip.net

    Beijos,
    estrela.

    ResponderExcluir
  6. Oi meu novo amigo!

    Muito bom te ler e prazer imenso em ter você na minha rede e seu blog no meu, trocando experiências, e digo também que você agora será minha fonte de inspiração se assim você permitir.
    Obrigada pelos comentários no meu blog, adorei.
    Beijos e abraços
    Valdíria ou simplesmente Dira.

    ResponderExcluir
  7. Lindíssimo! Esta leitura é um pazer.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Adorei,como semple coloca o seu sentimento em tudo que fazer ex; de um dialogo consegue indagar o que seria real bjs!

    ResponderExcluir