ESSE BLOG NÃO PERTENCE SÓ AO POETA, ELE É DE TODOS NÓS

sexta-feira, 29 de junho de 2012

EU SEI QUE VOCE SABE

EU SEI QUE VOCE SABE

Sabe aquele beijo do sonho
Foi o medo que não deixou
Que impede de crescer
Que embrulhou com laços
Liberdade não tem tamanho

Sabe o sexo do descaso
Maltratou a alma e o calor
Joga a chance de se ter
Deixa o ventre sem espaço
O sorriso da libido em atraso

Sabe aquele carinho negado
Que seu critério não deixou
Ignorou seu querer
Mau conselho da vaidade
Nasceu ruim seu legado

Sabe sua fé cega declarada
Chagas na vitrine para expor
Precisa crer para ver
Toda benção de quem sabe
É da visão de uma vida amada

Sabe aquele que te invejou
Insegurança firme e brada
Perde a chance de reler
Enverniza-te entre grades
Foi sua couraça que criou

Sabe o que torna tarde
Entrar na cova que cavou
E sem conhecer
O limite te enfraquece
Perde seu embarque

Sabe aquela ideia que não teve
E que sempre ignorou
Sentir em seu perceber.
La estava sua verdade
O nó firme de sua rede

Sabe a depressão passada
São sentidos em protesto  
Jeito de não esquecer
Que sua conexão se rompeu
Outros são infernos e muralhas

Sabe o amor que perdeu
O mandado pelo cupido
Deixou o anseio padecer
E sua essência travada
Ao que universo ofereceu

Sabe a face sem rubor
Que sua tribo abafou
Impede de o fogo ascender
E olhar mostra cansaço
Da alma sobre signo do pavor

Sabe a batalha que entregou
Não viveu a beleza da ação
E nunca perecer
Por conta do realista rogado.
Galeria de derrotas acumulou.

Sabe que você sempre rogou
Não foi ouvida a percepção  
Para o espirito não atender
Tornando o enforcado
Dos arquétipos do Tarô.

Sabe que você que sempre sabe
Caminhou sem noção
E Barrou seu saber
Principio moral ofuscado
Fere com seu próprio sabre

SERGIO CUMINO - POETA DE AYRÁ

6 comentários:

  1. Nossa Sérgio... Esse poema é profundo...
    Mexe nas raízes, nos valores
    conflito existencial...
    E meu corpo passou de frio a quente...
    Geralmente sou quente...
    E fiquei com medo...
    Vou fazer um lanche pra ficar + forte..
    Como eu sou frágil...

    ResponderExcluir
  2. Nadir da Silva Marçal30 de junho de 2012 14:41

    Saber para poucos que elucidam os paradigmas das mentes e almas tempestuosas. Aquelas aflitas, sabedoras do que é verdadeiro. não experimentam. dizem somos todos iguais, mas somos perfeitos na glória amada do Deus. Rege o poder, mas encarnar o desvencilhar de alguns pobres de senso menor que ultrajam as forças do que está escrito nos corações de homens e mulheres de bem. Seremos ultrajados pelas memorias do que não poderemos dizer que somos.Serei simplesmente.

    ResponderExcluir
  3. maravilhosa poesia querido!!cada uma que vc posta aqui nos surpriende.´..são como um hino tirado do fundo do coração..parabéns..bjs

    ResponderExcluir
  4. Sei que você sabe que é o poeta que canta e encanta em poesia
    Mesmo quando a poesia não fala de amor exala sensualidade NAS ENTRELINHAS

    ResponderExcluir
  5. Sou por vezes levada por desenganos a deixar de lado o que me é mais caro nesta vida, que é amar e ser amada. Amar não é apenas desejo, é compreender sempre, dar de si mesmo, renunciar aos próprios caprichos e sacrificar-se para que o seu melhor floresça e em consequência apareça o verdadeiro amor.
    Você sempre desnuda seus leitores com palavras que elevam o pensamento e fazem refletir o que deve ser levado a sério nesta vida e o que devemos colocar como verdade. Obrigada por deixar eu viver esta experiência que é ver no simples a verdadeira essência.

    ResponderExcluir